Categoria: Autoconhecimento

Vegetariana, Eu?

Hoje quem usará a tagautoconhecimento”  – que aqui no blog é usada pela minha amiga e colaboradora, Renate Dieztzold – sou eu!

Muitos vão se perguntar o porquê deste post, qual a necessidade e etc, mas como compartilho tantas coisas da minha vida com meus amigos, seguidores e leitores não somente por aqui mas em todas as minhas redes sociais, pensei porque não compartilhar algo que me fez refletir muito antes de mudar algo que no fundo eu já imaginava que um dia poderia acontecer.

Não é segredo pra NINGUÉM que minha alimentação não é lá aquelas coisas. Adoro comer besteiras, adoro a torta alemã da dona Hilda e principalmente: adoro uma comida embutida, tipo  salsicha, linguiça, peito de peru e por aí vai. Tô errada em gostar disso tudo? Aí é que está o X da questão: vai do ponto de vista de cada um pois há um fato surpreendente sobre a nossa saúde, que esquecemos de vez em quando. Todos nós temos o poder de escolher os alimentos que vamos colocar em nossos corpos. É um fato simples e poderoso, mas que precisamos relembrar antes de jogar algo para dentro, até porque – eu sei – que  a maioria dos produtos que vemos nas prateleiras do supermercado são carregados de ingredientes processados e eles INFELIZMENTE são viciantes e geralmente mascarados com uma série de publicidades criativas, mas enganosas.

Enfim, durante um tempo venho me questionando, me observando e tomei  uma decisão: tentarei, PORQUE NÃO?, evitar de comer carnes, leia-se: brancas e vermelhas.

Muitos devem saber que meu marido é vegetariano, na vdd ele está na transição para o veganismo, cortou todos os derivados de animais em sua alimentação. Ele me influenciou? Indiretamente sim, até porque convivemos diariamente eu vejo que não é um bicho de 7 cabeças evitar carnes. Foi um processo difícil pra ele? Foi, mas ele deu conta do recado e o faz isso até hoje, 4 anos desde que parou de ingerir carnes.

vegetariano-lillys-trends-post-1

Tomei esta decisão há alguns dias atrás, pegará muitos de surpresa, assim como meu marido. Aí vem a pergunta, porque? Compaixão aos animais? Sim.Influência do marido? Talvez. Imposição da sociedade? Jamais, até porque, eu acredito que o maior desafio em ser vegano ou vegetariano é lidar com o antagonismo e assédio recebido de grande parte do mundo. Tipo, os interrogatórios, os comentários sarcásticos, as humilhações, as “brincadeiras”, e assim por diante.

Não estou aqui compartilhando este post pra levantar a bandeira do vegetarianismo, dizer para vocês fazerem o mesmo que eu, longe disso. Meu marido por exemplo: NUNCA pediu que  eu mudasse minha alimentação, somente me dizia que eu precisava melhorá-la pois comia errado. E em casa eu quase não cozinhava mais carne, era muito difícil, aproveitava para comer quando ia em algum restaurante, o que nada me impede de continuar levando a MESMA vida, ou seja: continuarei indo na dona Hilda (não larguei o glúten), no sushi, no Rosa Mexicano, na pizzaria e etc! Mas tendo ele como exemplo e agora incentivador, acredito que será “fácil!”

Vejo que hoje as opções para quem escolheu esse estilo de vida o qual me permiti tentar ter, é muito melhor do que anos atrás no quesito opções. A busca pela alimentação saudável nunca esteve tão em alta como nos dias atuais, o que é ótimo, pois as opções vegetarianas e veganas aumentam cada dia mais, até parece tendência, kkkkkkkkkkkkkk!

Enfim, só escrevi pra vocês porque quis compartilhar mesmo, as amigas podem ficar despreocupadas que não ficarei conversando compulsivamente sobre este assunto, só sei que na vida tudo fica mais gostoso quando enfrentamos algumas adversidades e eu resolvi encarar esta, espero me sair bem, ainda estou no processo, pois confesso que o mais difícil mesmo será largar os frutos do mar!

Beijos
Anna

Categoria: Autoconhecimento

CORAGEM DE SER

Olá pessoal. Eu aqui de novo, como vocês tem passado? Alimentando as borboletas das suas vidas? =) Hoje trago um assunto importante e muito intenso: A CORAGEM DE SER. Para alguns viver é uma dança, é leve, é colorido, é espontaneidade. Para outros viver é denso, é programado, é preto e branco, é sistemático. E não, não vou dizer que um está certo ou outro errado. O que quero dizer que para qualquer uma dessas opções de Ser é preciso de CORAGEM. E sabem porquê?

coragem-renate-autoconhecimento-lillys-trends-capa

Viver é um ato de coragem diário, é escolher a cada minuto o caminho que queremos seguir. Que caminho vou pegar, que roupa colocar, que música escutar, que comida escolher, quais amigos vou ligar, que horas vou dormir…e os questionamentos não param nunca. E que nunca parem! A vida é energia, a vida é movimento, a vida são escolhas. E para escolher é preciso coragem. Coragem para assumir e arcar com as responsabilidades de suas escolhas. Ser responsável pelo seu “destino”, pela reação de suas ações. É tão fácil culpar os outros pela nossa falta de coragem, que voltamos ao mesmo ponto do post anterior: ficamos na zona de conforto. E para se ter coragem, para tomar sábias decisões é preciso ter autoconhecimento. Saber de si, saber para onde quer ir e como quer chegar. Vivemos em tempos onde sabemos muito dos outros, mas sabemos de nós mesmos? Sabemos a roupa da moda, mas que roupa melhor me veste? Sabemos que exercício faz bem, mas sabemos o que nos agrada? Sabemos que amar é imprescindível, mas amamos a nós mesmos? Sabemos tudo o que acontece ao nosso redor, mas não sabemos o que acontece dentro de nós. Ou se sabemos, ignoramos e culpamos os outros pela nossa falta de coragem para dar um passo a diante, para sermos nós com ousadia, para encarar o novo confiante e decidido.

Posso errar nas minhas escolhas? COM CERTEZA. Com os erros, crescemos e nos fortalecemos mais. Ao se ter coragem para assumir seus desejos provamos o sabor de viver em plenitude, aprendemos do que gostamos e como gostamos. O sabor de se viver o que nutri nossa essência, dá sentido à nossa existência. E não há nada que nos faca mais satisfeitos do que sermos nos mesmos. Ao enxergarmos nossa essência e vivermos de acordo com ela, aceitamos melhor as críticas, e crescemos com elas. Aceitamos melhor as divergências, e transpomos elas. Acreditamos que o melhor sempre está por vir, pois esse é o movimento da vida e por isso nos fortalece. E que naquele momento ao final do dia onde além de gratidão, expomos nossos desejos, que o maior deles seja: QUE EU TENHA SEMPRE CORAGEM!

Desejo um mundo de coragem diária para todos vocês, estrelas dessa constelação chamada VIDA! Beijos!

Categoria: Autoconhecimento

Você está realmente feliz ou somente muito confortável?

Olá pessoal. Meu nome é Renate Dietzold e estou aqui a convite da Anna (minha amiga de longa data!) para fazer parte dessa equipe competente e queridíssima formada pelo Lilly’s Trend’s. Minha formação (e minha paixão!) é Psicologia. E virei aqui quinzenalmente para conversarmos sobre assuntos diversos, mas que possam trazer reflexão e boas escolhas para a vida de vocês.


Acredito muito no caminho do autoconhecimento, que reforça nossa fé em si (sem conotação religiosa!) que consequentemente nos levam a tomar boas escolhas na vida. Partindo do princípio que não somos seres rotulados e pré-determinados, passamos a acreditar no poder das escolhas e no eterno movimento de transformação da vida. Existe uma frase que levarei comigo até os últimos dias de minha vida, “SOMOS SERES INACABADOS!”. E de fato somos! Ao longo dos dias, da semana, e da vida acumulamos experiências, sentimentos, relações e escolhas. Essas vivências irão se somar na nossa biblioteca emocional e a partir de todas essas experiências vamos nos reconstruindo e nos refazendo para novas escolhas e assim continuar nossa jornada.

Assumir a responsabilidade de suas escolhas diariamente é trazer maturidade e leveza à vida. Sair da zona de conforto é um ato de coragem, mas muito sábio. Diz um ditado: “ A zona de conforto é linda, mas não nasce nada ali dentro! ” Ficamos em uma redoma confortável de sentimentos, onde não existe o medo e nem a ansiedade. Mas deixa eu contar uma coisa para vocês: o medo e a angustia se bem dosados e bem entendidos são muito saudáveis para a evolução pessoal. Sentir uma pitada de angústia perante um novo projeto, uma viajem, uma reunião, uma prova é extremamente saudável. Ainda mais se está acompanhada da auto confiança e aceitação.

Bom, está aí outra palavra que é preciso carregar sempre na nossa biblioteca emocional: ACEITAÇÃO. Podemos dar o nosso melhor, podemos nos preparar como nunca e mesmo assim não “funcionar”. Aceitar o que o outro tem a oferecer limita nossas expectativas (irei falar sobre relacionamentos em breve! 🙂 e aceitar o que pode acontecer é acreditar que sempre existirão novas escolhas tão boas quanto aquelas que acreditávamos ser a melhor. E gente, momentos adversos por mais que algumas vezes sejam dolorosos, eles nos fortalecem. E nenhuma tristeza é tão profunda que não terá fim. Já dizia meu amado Chico Buarque “Você que inventou a tristeza, tenha a finesa de desinventar. ” Ou seja, está em nossas mãos a possibilidade de refazermos o caminho e ajeitarmos a direção das velas.

E depois de conversarmos sobre tudo isso pergunto à vocês: vocês estão realmente felizes ou somente muito confortáveis? Não, não existe a fórmula para felicidade, mesmo porque ela é tão subjetiva quanto seu DNA. Mas eu pergunto quantas vezes no dia, na semana ou no mês vocês andam sentindo aquele frio na barriga, aquela ansiedade gostosa, aquele medo que enriquece a alma? E para cada borboleta no estômago uma nova flor floresce em nossas vidas. Uma nova possibilidade se mostra. Sentir-se confortável está longe de ser a zona de conforto em si. Sentir-se confortável está muito mais ligado à autoconfiança e fé em si do que estar inerte às mudanças da vida. Pense nisso =)

Nos vemos daqui uns dias e espero que tenham gostado pessoal.

Beijos e muitas boas escolhas para todos vocês.