Categoria: Gastronomia

Receitas do Quintal: Massa a Carbonara

Hoje eu vou falar sobre uma receita clássica da culinária italiana: a massa a Carbonara. Não se sabe ao certo a sua origem, mas acredita-se que seja romana. Porém, alguns defendem que sua criação se deu durante a Segunda Guerra Mundial por soldados americanos que, pra matar a saudade de casa, utilizavam ingredientes semelhantes aos tradicionais de sua culinária (ovos, queijo e bacon) para cozinhar. E somente ao fim da guerra, a receita chegaria a Roma.

Independente de onde e por quem foi criada, o fato é que além de ser uma queridinha dos italianos, essa massa é cheia de sabor e facílima de fazer.

Mas se você já provou esse prato fora da Itália, é bem possível que tenha comido uma versão estrangeira do clássico. Isso porque na receita original são utilizados ovos crus, o que não é (ou não costumava ser) bem aceito por muitos paladares. E para dar a cremosidade impossível de conseguir com o ovo cozido, adiciona-se creme de leite fresco ao molho.

E por falar em leite, esse prato, na sua versão original, pode ser consumido sem culpa por quem tem intolerância à lactose. Isso porque os queijos utilizados possuem naturalmente baixo teor de lactose.

Bom, chega de blá-blá-blá e vamos ao que interessa: a receita!

IMG_2374

Rendimento: 4 porções
Calorias por porção: 579
Tempo de Preparo: 30 minutos
Dificuldade: Fácil

Ingredientes:
400gr da massa de sua preferência (spaghetti, fettuccine, bucatini e rigatoni são as mais recomendadas)
4 gemas
1 ovo inteiro
150gr de manciale
100gr de queijo pecorino ralado
1 colher de sopa de azeite de oliva
sal
pimenta do reino

Substituições:

O Carbonara original utiliza o manciale, que é feito da bochecha do porco. Assemelha-se ao bacon, porém é mais macio. Caso não ache a bochecha de porco curtida, utilize bacon mesmo.
Em relação ao queijo, a receita original utiliza o pecorino, mas também é possível utilizar o queijo parmesão, numa proporção de 50% para 50% de pecorino. Ou utilize somente o parmesão caso não encontre o pecorino.

Preparo:

Para começar, em uma panela grande, coloque a água pra ferver. Assim que levantar fervura, adicione sal grosso, deixe levantar fervura novamente e junte a massa. Siga as instruções de cozimento descritas no pacote.
Enquanto a massa ferve, fatie o manciale em fatias nem muito grossas nem muito finas. frite-o até que fique crocante e com a gordura transparente. Reserve.
Junte em um bowl (suficientemente grande para juntar a massa que está sendo cozida e misturá-la bem): os ovos, o queijo ralado, uma pitada de sal e pimenta do reino moída. Mexa bem com um garfo ou fouet até obter um creme homogêneo.
Quando a massa estiver pronta, reserve um pouco da água de cozimento e escorra e volte a massa para a panela. Junte o manciale frito e misture. Desligue o fogo e coloque a massa dentro do bowl com o creme de ovos e queijo. Misture de baixo pra cima até que o molho esteja incorporado a toda massa. O ovo em contato com o calor da massa torna-se mais espesso, por isso, caso necessário, adicione um pouco da água de cozimento para se obter o ponto ideal de cremosidade.
Para servir, o ideal é que os pratos sejam escaldados para que a massa não esfrie em contato com a superfície fria, mas isso não é obrigatório. Polvilhe queijo pecorino e pimenta preta ralados por cima da massa para finalizar e sirva em seguida.

Eu confesso que essa é uma das minhas receitas favoritas! Fácil, simples, rápida e barata. Espero que vocês apreciem tanto quanto eu!

Baci a tutti da Rosa Viajante!
E até a próxima!

Categoria: Gastronomia

Baked Eggs: I Love New York

Bom, e como o meu último post foi sobre as comidinhas de NYC, eu não poderia deixar de passar uma receita de lá, né?! Então aqui vai a do Ovo assado com espinafre, cogumelo e queijo pra um café da manhã (serve 4 pessoas) com jeitinho de Nova Iorque. A receita é composta de 3 etapas, os cogumelos, o espinafre e a finalização, conforme receita do I love New York, ingredients and recipes (Eu amo Nova Iorque, ingredientes e receitas).

BakedEggs

Baked egg with spinach, mushrooms and cheese. Foto: Do livro I love New York

Passo 1: Cogumelos Duxelles
3 colheres de sopa de manteiga
4 xícaras de cogumelos cremini cortados em cubos (3mm)
½ xícara de cebolas cortadas em cubos (3 mm)
2 raminhos de tomilho
2 colheres de sopa de xerez (caso você não encontre, pode usar um vinho seco amadeirado)
Sal

Derreta a manteiga em uma panela a fogo médio-alto. Acrescente metade dos cogumelos e cozinhe, mexendo frequentemente até que os cogumelos fiquem dourado escuro, de 10 a 12 minutos. Acrescente o resto dos cogumelos e continue cozinhando até ficarem dourado escuro também, outros 10 a 12 minutos. Acrescente as cebolas e cozinhe até ficarem macia, de 2 a 3 minutos. Adicione o tomilho e o xerez e cozinhe, mexendo frequentemente, cerca de 5 minutos. Tempere com sal a gosto.

image3

Adicionando a cebola picada ao cogumelo já dourado

Passo 2: Espinafre refogado

2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de cebolas em cubos (3mm)
4 xícaras de espinafre sem as hastes
Sal

Derreta a manteiga em uma panela a fogo médio. Acrescente as cebolas e cozinhe até ficarem macias, de 2 a 3 minutos. Acrescente o espinafre e refogue até murchar. Tempere com sal a gosto.

image2

Refogando o espinafre

Passo 3: Para finalizar

8 fatias de presunto deli
½ xícara de queijo cheddar maturado
8 ovos

Pré-aqueça o forno a 190º C. Forre 8 forminhas de muffin com as fatias de presunto, tratando-as como forros do muffin. Divida o espinafre refogado entre as 8 forminhas e as cubra com o cogumelo Duxelles. Distribua o queijo uniformemente e, então, quebre um ovo em cada forma.

image4

Forminhas prontas para ir pro forno

Asse no forno até que as claras estejam endurecidas, mas as gemas ainda permaneçam moles, de 11 a 13 minutos. Deixe descansar por alguns minutos antes de remover gentilmente os ovos cozidos da forma de muffin com uma pequena espátula.

image1

Receita testada e aprovada!

Como é possível ver na foto acima, a receita deu super certo! No entanto, acho que vale fazer algumas considerações.

1 – Se você for intolerante à lactose como eu, utilize manteiga de primeira qualidade ou manteiga Ghee ao executar a receita. Eu utilizei queijo parmesão no lugar do cheddar, pelo mesmo motivo.

2 – Eu optei por utilizar essas mini forminhas ao invés da forma de muffin, por achar desnecessário aquecer um forno grande pra essa pequena porção (eu fiz meia receita apenas). No entanto, se você optar por utiliza-las também, precisará de mais de uma fatia de presunto (eu optei pelo cru que já tinha em casa), pois a quantidade de recheio é o dobro e com apenas uma fatia fica impossível desenformar.

Agora é só por a mão na massa e preparar esse delicioso café da manhã pra você e pra sua família!

Espero que tenham gostado!
Beijos da Fabi, a Rosa viajante do blog Mundo, meu quintal.

Categoria: Gastronomia

Comidinhas de NY!

Pra quem não me conhece, eu sou a Fabi, a amiga da Anna que recentemente deu a volta ao mundo. Há cerca de 1 mês eu voltei à terrinha e durante esse meu período (árduo!) de transição, recebi o convite pra ser colaboradora do Lilly´s Trends, pra falar um pouco sobre a coisa que eu mais gosto de fazer: COMER!

Nesse tempo em que eu estive viajando, passei por aproximadamente 25 países, nos quais eu pude me deliciar provando as comidas locais. Foram 9 meses me esbaldando com as diferentes gastronomias do mundo (comendo como se não houvesse amanhã, rs) e adquirindo uma coleção respeitável de quilos (mais de 20) livros de receitas. Além disso, ainda consegui fazer cursos de culinária na Itália, Tailândia e Vietnã, e uma aulinha particular na cozinha de um hotel na Índia.

Pelos lugares onde eu passei sozinha (alguns países eu visitei com pacotes turísticos), minha rotina era, em primeiro lugar, consultar o Foursquare (um aplicativo pra Smartphones para avaliação de, principalmente, restaurantes) para ver o que tinha de interessante pra comer por perto. E como eu fazia praticamente todas as minhas refeições em restaurantes, pude experimentar muita coisa.

Bom, programei o último destino da trip pra NYC porque nesse período que antecede o Natal, a cidade fica ainda mais incrível. E tive a felicidade de a Anna e uma outra amiga irem ao meu encontro. Foram aproximadamente 10 dias incríveis, de muita comilança, andança, compras e diversão. Foi delicioso compartilhar com elas a minha rotina de caça aos restaurantes. E é o que eu pretendo compartilhar agora com vocês também.

IMG_0381

NYC em vépera de Natal. Foto: Fabi Rosa

Vale lembrar que NYC é uma cidade imensa e com milhares de opções gastronômicas. E que apesar desta ter sido a minha quarta vez na cidade (uma das minhas favoritas), conheço apenas um pouquinho do que ela tem para oferecer. Considerem também que estávamos hospedadas perto da Herald Square (leia-se Macy´s) e, portanto, muito do que vou falar fica nesta região.

IMG_0749

Anna e eu em um passeio delicioso pela ponte do Brooklyn

Agora chega de enrolação e vamos ao que interessa: As Comidinhas de NYC!

O café da manhã, minha refeição favorita!

Quando incluso previamente na conta do hotel, o café da manhã tem suas comodidades, porém, limita a gente a comer no mesmo lugar todos os dias e dentro de um horário pré-estabelecido. Muitos hotéis em NYC, como o nosso, não tem o café incluso e aproveitamos isso a nosso favor. Na caça pelo restaurante da vez, acabamos encontrando os seguintes lugares bacanas e que altamente recomendo:

The Picnic Basket é um lugar pequeno e super fofo que serve sanduíches gourmets e saladas. É uma excelente opção de café da manhã pra quem (também) gosta de homus (pasta árabe de grã-de-bico), ingrediente de grande parte dos sanduíches. Eu fui de Mediterranean Egg Sandwich, que é feito de omelete, húmus, salada no pão pita (queijo e presunto opcionais) e super recomendo! Existem duas opções na cidade, o da 37th com a Avenida das Américas (onde fomos) e o da 3ª Avenida com a 50th.

image2

Detalhe da charmosa decoração do Picnic Basket. Foto: Anna Rutkoski

The Martinique Café, que fica no Hotel Radisson on Martinique, tem excelentes opções de café da manhã, como ovos, sanduíches, frutas e wafles. O preço é um pouco mais alto, mas a apresentação dos pratos, o bom atendimento e o local aconchegante fazem valer o custo a mais. Pra quem gosta de salmão defumado, eu recomendo o Scottish Smoked Salmon Platter, que é delicioso. E o melhor de tudo é que eles substituem o cream cheese por abacate, caso você queira.

IMG_0392

Scottish Smoked Salmon Platter do The Martinique Cafe. Foto: Fabi Rosa

Além do café da manhã, o The Martinique Cafe também serve almoço, jantar e tem um bar bacana, frequentado por turistas e locais, para beber um drink no fim do dia.

IMG_0803

Vai um drink aí?! E esse é do The Martinique Cafe. Foto: Fabi Rosa

Com inúmeros pontos espalhados por Manhattan (além de outras cidades pelo mundo todo, incluindo São Paulo), o Prêt à Manger (ou Pronto pra comer) é sempre uma excelente pedida para café da manhã e também para refeições rápidas. O diferencial é a busca pela alimentação saudável, utilização de produtos naturais e orgânicos na produção do que vende. Lá é possível encontrar, entre outras coisas, wraps, sanduíches, saladas, cookies, frutas e cafés. Ideal para uma refeição rápida, leve, de menor custo e saudável.

image1

Fachada do Prêt à Manger perto da Herald Square. Foto: Fabi Rosa

Mas o nosso queridinho mesmo foi o Toby´s Estate, que fica no Brooklyn. Pra quem assistiu o filme “Um Senhor Estagiário”, é nesse café que a Anne Hathaway encontra o Robert de Niro e o chama pra trabalhar com ela novamente (ops, contei!). Um lugar super descolado, cheio de gente mega estilosa, com uma pegada sustentável e social. Além do Brooklyn, ele possui mais 3 pontos em Manhattan. Eu, pra variar, acabei pedindo um sanduiche com salmão defumado. E caso você, como nós, não esteja hospedado no Brooklyn, é só pegar o metro, que tem uma estação (Bedford Avenue Station) bem pertinho do Toby´s. E já aproveite a ida pra passear por lá e veja um mundo completamente diferente de Manhattan.

IMG_0684

Ambiente interno do Toby’s Estate. Foto: Fabi Rosa

IMG_0618

Salmão e abacate, uma combinação perfeita! Foto: Fabi Rosa

Almoçar ou jantar bem, porque 3 refeições reforçadas é muito até pra mim!

Como tomávamos o café da manhã mais tarde, porque era inverno e éramos 3 mulheres se arrumando no mesmo quarto, normalmente beliscávamos alguma coisa na rua ou fazíamos alguma refeição leve e rápida no almoço, que normalmente acabava sendo pelo meio da tarde, pra aí então nos esbaldarmos em um delicioso jantar! Ou então o contrário, um almoço reforçado quando o tempo não colaborava e uma bobagem no jantar.

Então, aqui ficam algumas dicas de lugares pra comer bem no almoço, no jantar ou em ambos, porque opções de boa gastronomia não faltam em Nova Iorque.

Dos Caminos é um dos meus lugares favoritos em NYC. Parada obrigatória no meu roteiro, esse restaurante mexicano possui 5 estabelecimentos na cidade: Metapacking, Soho, Park Avenue, Times Square e 3ª Avenida. Não deixe de provar o guacamole que é fantástico, assim como os molhinhos de pimenta que eles servem de entrada. Outro prato que eu recomendo é a amostra de ceviche com um pouco dos 3 tipos servidos pela casa.

96CDF998-CD3A-48EA-87E7-B6B0AC28B27C

O guacamole e os molhinhos de pimenta do Dos Caminos são divinos! Foto: Fabi Rosa

Bubba Gump é um daqueles lugar super turísticos que eu normalmente dispenso. Prefiro conhecer os lugares em que as pessoas que vivem ali frequentam, ao invés daqueles que são feitos pra nós, turistas. Mas eu fui, gostei e voltei. E voltei de novo, rs. Com deliciosos pratos à base de frutos do mar, lindos drinks e atendimento (quase sempre) espetacular, é um restaurante que precisa estar na sua lista. Até porque, você com certeza dará um pulinho (ou muitos) na Times Square. Provei e recomendo os seguintes pratos: Shrimper´s Net Catch de entrada pra dividir, a pasta … Of Course We Have Scampi e o Top Steamed Shellfish, que é uma porção de diversos frutos do mar ao bafo, servidos numa panelinha. Pra comer sem dó e sem vergonha, porque apesar do aventalzinho que eles dão, a sujeira é grande.

0CBD04A4-5219-4F1B-B474-D7191830444C

Shrimper´s Net Catch do Bubba Gump. Foto: Fabi Rosa

974BC654-14B6-48CD-B1C1-8178AD1FD29C

… Of Course We Have Scampi, uma pasta de nome esquisito que de tão boa mereceu repeteco! Foto: Fabi Rosa

E falando em Times Square e seus restaurantes mega turísticos lotados de gente, vamos ao Hard Rock Cafe. Comida boa, drinks bacanas, mas o que me ganhou mesmo foi o ambiente. Não tenho nenhum prato específico pra indicar, mas a qualidade é garantida e dá pra ir sem medo. Na dúvida, converse com o garçom e ele te ajudará a acertar seu pedido, tanto em relação aos drinks, quanto aos pratos.

IMG_0140

A aconchegante decoração do Hard Rock Cafe da Times Square. Foto: Fabi Rosa

Também na Times Square fica o Carmine´s, que infelizmente não podemos aproveitar dessa vez, pois a fila de espera era de cerca de 1 hora e meia. Mas deixo a dica pra quem quiser se esbaldar com os deliciosos pratos que servem nada mais, nada menos que 4 pessoas! Só não pode marcar bobeira e fazer como a gente, que esqueceu de reservar uma mesa. Outra coisa legal do restaurante é que você pode comprar um livro com as receitas dos pratos que eles servem pra fazer em casa. ÓBVIO que eu tenho um, né?! Rs.

FullSizeRender1

Mais de 100 pratos clássicos italianos pra fazer em casa. Dá pra resistir?! Foto: Fabi Rosa

Em outro ponto turístico, o Rockefeller Center, aproveitamos pra jantar num restaurante chamado Cucina & Co. Ele fica no Rockefeller Plaza, na parte inferior do complexo, onde existem outros restaurantes e a pista de patinação no inverno. Pedimos uma sopa de cebola gratinada com queijo gruyere de entrada pra dividir e meu prato principal, pra variar, foi uma pasta com camarões. Tudo uma delícia, porém, ao fazer o pedido, deve considerar que as porções são bastante grandes.

IMG_0377

Da pra salivar só de ver a foto dessa sopa de cebola gratinada com Gruyere do Cucina & Co. Foto: Fabi Rosa

IMG_0378

Pasta do Cucina & Co. Um exagero! Foto: Fabi Rosa

Voltando pra região do nosso hotel, na Herald Square, temos o The Harold, um charmoso bistrô que demoramos pra ir, mas surpreendeu. Com cardápio composto de café da manhã, almoço e jantar, tem nos 2 últimos uma grande variedade de pratos com frutos do mar. Aparentemente, tem seu forte nos pratos de lagosta. Eu pedi uma massa divina, chamada Wild Mushroom Garganelli, que é feita com cogumelos selvagens, couve (parece estranho, mas não é), fondue de manteiga e azeite trufado e parmesão ralado. Provei ainda o fettucini de frutos do mar e gostei muito também.

IMG_0804

O sabor do Wild Mushroom Garganelli do The Harold é indescritível! Foto: Fabi Rosa

Se estiver procurando algo menos rápido, o Smash Burguer é uma cadeia de hambúrgueres, digamos, gourmet, com um menu super bacana e diferenciado. Pedi o Truffle Mushroom Swiss, de cogumelos (acho que tenho problemas com cogumelo, salmão defumado e camarão, rsrs), queijo suíço e maionese trufada. Estava fantástico!

IMG_0022

O Truffle Mushroom do Smash Burguer ganha até quem não é muito fã desse tipo de refeição. Foto: Fabi Rosa

E se estiver atrás de um sushi bom e barato, achamos o Nomado 33. Bonitinho e sem frescuras, serve uma comida muito bem feita e com um preço abaixo da média (para NYC). Não é um lugar pra badalar, mas pra comer bem sem gastar muito.

FullSizeRender

O sushi bem feito com preço excelente faz valer um pulo no Nomado 33. Foto: Fabi Rosa

E pra finalizar, quando for passear pelo High Line Park, de uma descida na 9ª Avenida, entre as ruas 15 e 16, para conhecer o Chelsea Market, um lugar super legal, com restaurantes, bares, lojas descoladas e feira de artistas. Comi em dois lugares bem diferentes no Chelsea Market, o Lobster Place e o Buddakan.

IMG_0764

Lojinha de condimentos do Chelsea Market. Foto: Fabi Rosa

IMG_0766

A floricultura do Chelsea Market é uma graça. Foto: Fabi Rosa

O Lobster Place fica na parte interna do prédio e é uma mistura de peixaria, mercadinho e restaurante. Você pode comprar frutos do mar pra levar, pode levar comida pronta embora ou pode comer lá mesmo a comida feita na hora. Infelizmente, o sushi de lagosta que peguei pra levar estava um pouco seco e o gosto da lagosta não sobressaiu. Mas vi pratos lindos que gostaria de voltar pra provar.

IMG_0768

Uramaki de lagosta e abacate, envolto em ovas, do Lobster Place no Chelsea Market. Foto: Fabi Rosa

Já a entrada do Buddakan fica ao lado do Chelsea Market. Ele foi dica de uma prima que também ama Nova Iorque e sempre me dá dicas fantásticas. Dessa vez não foi diferente. O lugar é belíssimo, o atendimento excelente e a comida é maravilhosa! Entrou pro TOP 3 dos meus restaurante favoritos (os outros 2 ficam em Bangkok e na Cidade do Cabo). Uma das entradas foi um prato assinado pelo chef da casa, o Edamame Dumplings, um tipo de guiosa recheado com edamame.  Simplesmente imperdível! E o prato principal foi o Sizzling Short Rib, a costela melhor costela que comi na vida. Uma coisa interessante neste restaurante é que o pedido de casamento que o Mr. Big fez à Carrie Bradshaw, no Sex and the city, foi gravado lá. Um lugar fantástico que não pode ficar de fora da sua lista. Mas não esqueça de fazer reserva, viu?!

IMG_0856

O Edamame Dumplings do Buddakan é dos deuses! Foto: Fabi Rosa

IMG_0857

A costela do Buddakan desmancha na boca! Foto: Fabi Rosa

IMG_0914

Quem lembra do noivado da Carrie e do Big?! Foto: Fabi Rosa

Bom, estas são apenas algumas dicas de lugares pra comer em NYC, porém, uma vez me disseram uma coisa sobre os restaurantes de Nova Iorque: “A oferta de restaurantes em NYC é muito grande (realmente é imensa!) e, portanto, se um restaurante não for bom, ele não vai durar muito tempo. Assim, você pode comer em praticamente qualquer lugar que a comida será boa”. Realmente nunca tive uma experiência ruim. E você, tem alguma experiência gastronômica boa ou ruim pra dividir com a gente?!

Espero que tenham gostado. E caso queiram saber um pouco mais sobre a minha viagem, entrem no MUNDO, MEU QUINTAL que já, já tem novidades rolando por lá também.

Beijos e até o próximo!
Fabi, a Rosa viajante.