Categoria: Saúde

Microagulhamento

Hello amores!

Aposto que a maioria de vocês já ouviu falar sobre a técnica de microagulhamento que, com o auxílio de agulhas muito finas, estimula o colágeno da pele e atenua sinais de envelhecimento, né? Bom se nunca ouviram falar, ou se já viram/leram algo a respeito ou ainda: viram alguma foto com alguma pessoa completamente ensanguentada depois de ter se submetido a tal tratamento e ficaram horrorizadas – eu confesso que eu fiquei quando vi uma vez – esse post é PARA VOCÊ!

A técnica do microagulhamento ou a indução percutânea de colágeno (IPCA), é realizada, com o auxílio de um equipamento chamado roller, que tem cerca de 200 agulhas, facilitando a aplicação, (calma, não se assustem), tem atraído muito a atenção das pessoas que apostam em tratamentos clínicos ou estéticos para cuidar da beleza da pele, pois pode tratar diversos aspectos da pele, especialmente facial, ou seja: o tratamento é realizado através de dispositivos compostos por pequenas agulhas que causam microperfurações na pele e seu PRINCIPAL objetivo é a indução percutânea de colágeno, a angiogenese (criação de vasos sanguíneos novos) e um aumento da vasodilatação, fazendo com que haja uma melhora de oxigenação e nutrição nos tecidos.

As indicações do tratamento são diversas, mas as principais são:

  • Redução do melasma;
  • Redução de cicatrizes de acne;
  • Redução de rugas;
  • Redução/melhora de estrias;
  • Melhora de poros e textura da pele;
  • Redução de cicatrizes traumáticas e/ou cirúrgicas.

Vale ressaltar que o microagulhamento pode ser utilizado tanto no rosto, como em outras partes do corpo como em regiões com estrias.

Mas enfim, não estou escrevendo sem que eu tivesse me submetido a essa técnica e a responsável por tal feito, foi a minha esteticista, a Andressa Santos Massoterapeuta que atende aqui em Blumenau e aplicou o microagulhamento no meu rosto faz 15 dias.

Como é feito o microagulhamento?

Uns dias antes do microagulhamento, a Andressa fez um peeling antiaging para afinar na pele do meu rosto a fim de prepará-la para a técnica com as agulhinhas…meu medo crescia dentro de mim…

No dia do microagulhamento, ela aplicou pomada anestésica no rosto todo, esperou 30min e VOILÀ: começou a passar o roller com nada mais nada menos que 540 agulhas de 0,5mm e MEU MEDO PASSOU – glória Deus – pois não doeu nada perto do que imaginei! Durante o procedimento é aplicado um produto antiaging e clareador para melhor absorção e resultado.

Microagulhamento dói?

Então, é claro que é super relativo. Não vou dizer que não doeu, pois eu estava “naqueles dias” quando fiz então estava mais “sensível, mas claro que a pomada ajudou. Mas no geral é beeeem suportável. Dermatologista tbm faz micro, óbvio, porém com agulha 3.0 e que deve ser feita com sedação do paciente, e feita por médico em centro cirúrgico.

Resultados: o que esperar do microagulhamento

O pós da IPCA é geralmente tranquilo, com mínimo desconforto. A redução das manchas e a melhora da qualidade da pele são vistas nos primeiros 15 a 30 dias. O auge da produção de colágeno induzida pela IPCA é em torno de 3 meses, quando vemos a melhora de rugas, cicatrizes e estrias. E eu que antes tinha uma pele MEGA RESSECADA está atulamente MEGA SEDOSA, e olha que tomo banho no chuveiro quente – mas beeeem quente!

Assim amores, sorry o textão, mas o assunto rende muito, mas no geral, o microagulhamento faz renascer a pele, depois que fiz, JURO, ela está outra, lisinha, macia e olhem que sou relaxada em passar cremes e afins, já fui mais certinha…!

Espero que o post tenha esclarecido as dúvidas caso alguém tinha, e fica aqui o contato da Andressa para vocês caso queiram fazer um microagulhamento ou qualquer outro tratamento estético!

Beijos
Anna

contato: 9 8823-4734

Categoria: Consultoria de Imagem

Consultoria de Imagem

Hello amores!

Continuando sobre o assunto abordado AQUI, sobre Consultoria de Imagem, segue mais um post para vocês saberem mais um pouco sobre esta profissão que escolhi e desenvolvo com muito amor!

Para começar: de onde surgiu isso essa profissão, vocês sabem? A profissão do consultor de imagem/estilo/moda surgiu em meio às mudanças incessantes das condições de vida do mundo moderno. A imagem pessoal tem hoje importância decisiva, seja nas relações pessoais, afetivas e, principalmente, nas profissionais. Num mundo apressado, competitivo e fugaz como o que vivemos, a imagem que projetamos exerce um papel de destaque.

E todo mundo deve saber que “ninguém tem uma segunda oportunidade de causar uma primeira boa impressão”. Para se ter uma ideia, estudos apontam que são necessários somente 3 segundos, para a formação da primeira impressão e nestes poucos segundos, os principais fatores que influenciam na formação da imagem são:

  • a visão (conjunto da imagem) do primeiro impacto com 25%;
  • o tom da voz com 18%;
  • a adequação das palavras utilizadas com 14%;
  • a linguagem corporal com 10%.

Se somarmos o conjunto da imagem à linguagem corporal, a imagem, pura e simplesmente representa 35% dos elementos formadores da “primeira impressão”. Agregando-se a impostação da voz e os trejeitos já temos aí 53% dos elementos necessários para que se criem uma imagem sobre nós.

Não há dúvidas, pois, de que o interlocutor é influenciado principalmente pela aparência e pelo vestuário. Nossa vestimenta é uma eficiente forma de comunicação, porém, não verbal, e o ato de cobrir o corpo garante informações sobre quem somos, qual nosso perfil, o que fazemos, do que gostamos, dentre outras coisas.

A Consultoria de Imagem envolve as seguintes etapas:

  • identificação do estilo pessoal, através de respostas a uma entrevista pessoal com questionário;
  • estudo da silhueta e proporção corporal para facilitar a escolha de peças que valorizem o biotipo da minha cliente;

  • análise das proporções faciais para harmonizar a aparência com cortes de cabelo e maquiagem adequados;
  • identificação da coloração pessoal. Análise das tonalidades mais favoráveis à pele e cor de cabelo. (paleta sazonal);
  • visita ao guarda-roupa da cliente para apuração de seu acervo, incluindo roupas, sapatos e acessórios (closet cleaning);
    • seleção das roupas que necessitam de ajustes/reformas e descarte daquelas que não valorizam o estilo e silhueta da/do cliente;
    • sugestão de uma lista de peças que a/o cliente poderá adquirir para criar mais possibilidades de produções;
  • criação da estratégia de imagem, levando em consideração o estilo, tipo físico, cores, da cliente;
  • personal shopping – sssessoria na visita a lojas pré-selecionadas conforme o estilo/necessidade/orçamento da/do cliente;
  • montagem de looks que atenderão os objetivos da estratégia e a agenda de compromissos (produções). Os looks fotografados serão enviados via whatsapp após o término da consultoria;.
  • ao final, a/o cliente receberá um dossiê de imagem pessoal – material impresso onde constará as informações teóricas e práticas personalizadas sobre sua imagem pessoal;
  • além destas etapas, caso seja necessária uma mudança no cabelo, a consultora indicará e acompanhará a/o cliente ao salão de beleza.

Outras ações

  • ações em lojas (personal shopper, consultoria, “dicas da stylist”, outros);
  • workshops, palestras e oficinas em lojas/empresas (principais temáticas abordadas: moda, tendências, imagem empresarial e sua importância, comportamento, prospecção da imagem, atendimento ao cliente,dentre outros.);
  • styling (lookbooks para lojas, eventos e campanhas);
  • assessoria para noivas e ocasiões especiais;
  • outros serviços personalizados;

Observação:

É definido junto à cliente a melhor estratégia e o melhor pacote. Nem todas as fases são obrigatórias, sendo tudo ajustado conforme a demanda e necessidades da cliente, embora, quanto mais completo o trabalho, melhores os resultados. Para mais informações, entrem em contato comigo pelo consultoria@lillystrends.conm.br

Beijos
Anna

Categoria: Cultura Pop

We Wear Culture

Hello amores!

Olhem que incrível isso amores: o Google lançou uma ferramenta maravilhosa para explorar a moda que dá acesso a mais de mil museus, exposições e acervos privados, e também oferece perspectivas especializadas sobre a história da moda!

É com a proposta de “trazer 3.000 anos de moda para a plataforma do Google Arts and Culture que a gigante da tecnologia anuncia o We Wear Culture, (“nós vestimos cultura”), um braço da iniciativa focado em facilitar a exploração da vestimenta, sua história e suas implicações culturais.

Encorajado pelo volume de buscas em relação à moda e pela crescente popularização das exposições fashion — como a de Rei Kawakubo, que alçou a designer vanguardista a ícone da contracultura — o Google mantém sua ambição de “organizar a informação mundial e fazê-la universalmente acessível.”

Tudo começou em 2010 com o engenheiro Amit Sood, nascido em Bombay, na Índia. Como parte do tempo livre oferecido pela empresa para que os funcionários pudessem explorar projetos pessoais, ele criou, através do Kickstarter, o Google Art Project. Sua ideia reunia esforços para digitalizar os museus ao redor do mundo, tornando artefatos culturais acessíveis para milhões de pessoas em todos os lugares.

O projeto cresceu e se tornou o Google Cultural Institute, um projeto sem fins lucrativos que tem sede no Hôtel Particulier, no nono arrondissement de Paris. São mais de 1300 museus e fundações parceiras que colaboram com a digitalização de seus edifícios, arquivos e exposições.

O We Wear Culture é baseado na premissa de que moda é cultura.

“Nossos parceiros têm coleções enormes e muita sabedoria, mas normalmente tudo está guardado — seja fisicamente ou no cérebro do curador. Então, primeiramente, estamos abrindo o acesso a tudo isso — e realmente levando para as pessoas de uma forma que é facilmente compreensível e educativa, mas também divertida“, conta Kate Lauterbach, gerente de projetos do Google, ao Business of Fashion.

Enquanto os museus maiores já tem tecnologia o suficiente para realizar esse tipo de adaptação online, a ferramenta oferece oportunidades mais democráticas para pequenas galerias e instituições que não tem os mesmos recursos ou a mesma projeção. No Brasil, O Museu da Moda Brasileira, o Museu Afro Brasil e o Instituto Moreira Salles são alguns dos colaboradores atuais.

Eu ameeeeeiiiiiiiii isso amores! E vocês?

Beijos
Anna