Categoria: Autoconhecimento

SOMOS TODOS DESIGUAIS

Olá pessoal. Hoje quero trazer um tema muito especial para vocês refletirem: IGUALDADE. Vou iniciar nossa reflexão trazendo a definição de igualdade encontrada na internet:

tarsiladoamaral_operarios2

Imagem: Tarsila do Amaral – Operários

Igualdade é a inexistência de desvios ou incongruências sob determinado ponto de vista, entre dois ou mais elementos comparados, sejam objetos, indivíduos, ideias, conceitos ou quaisquer coisas que permitam que seja feita uma comparação. (WIKIPÉDIA)

Olho para essa definição e inevitavelmente começam minhas alergias (rs). O termo igualdade é usado de forma tão incorreta pela sociedade que me dá arrepios. Talvez (e mesmo assim, TALVEZ!) em uma comunidade onde as pessoas não sintam, não aprendam e não sejam HUMANAS essa definição possa ser aplicada. Sinto lhes informar, mas somos TODOS desiguais. Sentimos de formas distintas, amamos de formas distintas, vemos o mundo de formas tão diferentes quanto nosso belo DNA. Carregamos conosco algo que ainda a ciência não explica mas vemos claramente nas artes, no modo como nos expressamos: a nossa ESSÊNCIA. Sempre (eu disse: SEMPRE!) existirão mais de um ponto de vista de uma mesma situação. Basta somente terem duas pessoas. Esse tema é tão complexo que poderia ficar HORAS falando disso com vocês.

Mas quero passar a mensagem que devemos ver o outro diferente SIM. E aí está o exercício mais belo dessa vida: ACEITAR. Aceitar o que o outro tem a oferecer, o que o outro deseja ser e o que o outro carrega dentro de si. E junto com a aceitação nascerá a verdadeira JUSTIÇA. Pois só saberemos ser justos quando aceitarmos nossas diferenças. E quando isso acontecer seremos todos ORIGINAIS. E sabe qual será a consequência disso tudo? Não, não será o caos…mas o exercício pleno da LIBERDADE. Escutamos pelos quatros cantos que devemos tratar o outro com igualdade, que somos todos iguais e a famosa inclusão de alunos “especais” nas escolas. Para início de conversa, e para conhecimento de todos: SOMOS TODOS ESPECIAIS. E só conseguiremos ser especiais se formos originais, se não for preciso agir para suprir a expectativas do outro, se de fato aceitarmos que somos diferentes. Há tanta beleza no diferente que o mundo seria muito mais colorido, muito mais interessante e justo se não houvessem rótulos, se não houvessem padrões, se não houvessem julgamentos. Aceitar o diferente é viver em liberdade plena e verdadeira. E isso começa dentro de suas casas: com seus pais, seus filhos e seus irmãos. Agora finalizo com uma pergunta: o quanto vocês estão sendo originais?

Pensem a respeito =)

Com carinho e afeto,

RÊ!

 

Deixe seu comentário